Image Hosted by ImageShack.us
Colimadores laser de colocação na câmara Forum de Caça - Portal Santo Huberto

  Caça Menor      

 

 

Colimadores laser de colocação na câmara  04-02-2009 21:45:37 Escrito por Phantom  (18 Respostas)  

 

Phantomania...he he he he  04-02-2009 23:31:51 Resposta por vasco pereira   

 

Collimators  04-02-2009 23:34:00 Resposta por Ermesinde   

 

Laser bore sight  05-02-2009 10:21:59 Resposta por Phantom   

 

Esqueci-me de uma coisita sobre as 9,3  05-02-2009 10:33:06 Resposta por Phantom   

 

colimador olho humanus  05-02-2009 13:21:58 Resposta por Jaime   

 

Mai nada!!  05-02-2009 14:53:03 Resposta por Phantom   

 

Confrade phantom  06-02-2009 0:55:58 Resposta por vasco pereira   

 

Ops, por pouco escapava-me  06-02-2009 16:11:09 Resposta por Phantom   

 

Confrade Phantom  07-02-2009 1:53:24 Resposta por vasco pereira   

 

Confrade Phantom  07-02-2009 1:54:03 Resposta por vasco pereira   

 

caça e guerra  07-02-2009 11:58:06 Resposta por Jaime   

 

Eheheheh  08-02-2009 19:50:23 Resposta por Phantom   

 

confrade Phantom  10-02-2009 17:46:02 Resposta por alvaro   

 

Colimador .300  10-02-2009 18:51:31 Resposta por Phantom   

 

colimadores laser  10-06-2010 16:09:00 Resposta por lreis   

 

Para chatear um bocadinho...  11-02-2009 22:59:38 Resposta por Pedro Jorge   

 

eheheh  11-02-2009 23:12:25 Resposta por Phantom   

 

Informação  07-05-2017 17:25:16 Resposta por JoseCardoso   

 


Colimadores laser de colocação na câmara 

Visualizações 6870

Phantom  04-02-2009 21:45:37
 
 



Image Hosted by ImageShack.us



Confesso que até há bem pouco tempo pensava que esta coisa dos colimadores laser de enfiar na câmara das carabinas era bodega para uso exclusivo de armeiros ou gente que não sabia onde enfiar as notas. E estava convencido disso quer pela escassez da oferta, quer pelos preços praticados nas nossas lojas, que teimavam em cair algures entre os 100 e os 200 euros.

Porém, quis o destino que numa das vezes em que andava perdido nalgum corredor escuro da internet à procura de secadores para oferecer à namorada (daqueles que esticam até os cabelos mais encaracolados e teimosos) tropeçasse em informação sobre baixas generalizadas no custo dos equipamentos laser, dissessem estes respeito a níveis para construção civil ou a apontadores para quadros escolares. Corri para os sites internacionais de produtos de caça sem mais demoras, naturalmente.

Sem ter de procurar muito, encontrei colimadores em calibre 30.06 springfield nos Estados Unidos, na Alemanha e até em Espanha, com preços desde os 25 euros até aos 80 euros. A coisa acabara de ficar interessante, pois com o equivalente a meio depósito de gasóleo já poderia incluir-me na categoria de feliz proprietário de uma luzinha para acertar miras, cegar os gatos aqui na rua ou lixar o juízo ao vizinho da frente!

Sem agendar assembleia geral extraordinária de neurónios para deliberar sobre o que fazer de seguida, mandei vir um colimador dos EUA. Com portes, a festa ficou pelos trinta e tal euros, mais moeda, menos moeda.

Deixo-vos aqui uma fotografia dele, ainda sem riscos de maior:

Image Hosted by ImageShack.us


Fiquei de tal forma entusiasmado com a minha compra que decidi arranjar-lhe companhia, quanto mais não fosse para poder, em comparação, aferir sobre a sua real utilidade, sobre a sua anunciada precisão. Pois mandei vir outro, desta vez da Alemanha.

Ora aqui está ele, nu mas pêlo escovado:

Image Hosted by ImageShack.us


Passemos então ao discurso sobre as minhas descobertas no que se refere às valências destas coisas tão bem polidas quanto iluminadas.


ALIMENTAÇÃO

No pacote de fábrica vêm incluídas duas pilhas AG5, também conhecidas entre nós por seis ou sete outras referências. Considerando que a duração anunciada - e a real, adianto-vos já – não é superior a uma hora, convém que os confrades se abasteçam com suplentes antes de correm para o campo de tiro ou para a floresta, em especial se antes andaram entretidos a brincar com a luzinha vermelha sem darem atenção aos minutos passados. Uma vez que os portugueses tendem a alambazar-se no preço das pilhas, é capaz de não ser má ideia encomendar logo uma porrada delas do ebay inglês (20 pilhas por 0,99 cêntimos, mais dois euros de portes).

Ambos os colimadores podem funcionar também a pilhas AG3 (3 em simultâneo).

Image Hosted by ImageShack.us



LIGAR/DESLIGAR

Image Hosted by ImageShack.us


O modelo recebido dos EUA não tem botão ligar/desligar, o que significa que o colimador ficará activo e projectará o laser assim que introduzirem as pilhas e fecharem a tampa do fundo. O modelo chegado da Alemanha, bem ao contrário, dispõe de um botãozinho na base que apenas quando premido acciona o feixe de luz.

Aqui vos deixo duas fotos dos traseiros em causa:

Image Hosted by ImageShack.us


Image Hosted by ImageShack.us



ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

As especificações técnicas anunciadas nas embalagens ou folhas que nelas vinham inseridas referiam que o alcance do laser seria na ordem das 100 jardas (91 metros, mais pauzinho de gelado, menos pauzinho de gelado), embora o acerto das miras devesse ter lugar na casa dos 20 a 30 metros.

Devo dizer que não medi a coisa com rigor, mas asseguro-vos que o raio da luzinha é visível a distâncias seguramente bem maiores, até porque cresce à medida que se afasta.

Supostamente, a 91,4 metros o diâmetro da marca vermelha provocada por ambos os lasers deveria andar na casa dos 5 centímetros, mas se isso é verdade no Americano, já no Alemão a coisa se afigura diversa, pois a bola aparece bem maior - o que não é mau, devo dizer.

A potência do laser anda nos 650 nm, mas presumo que nada disto vos diga grande coisa (pelo menos a mim e ao meu cão passou-nos completamente ao lado).


PRECAUÇÕES

Os tipos que embalaram aquilo fizeram questão de escrever em vários sítios que não devemos apontar o laser aos olhos, pois pode causar danos permanentes. Suspeito que seja para levar a sério, salvo se estivermos a falar daquele canzarrão que lá no cimo da rua nos tenta ferrar em cada vez que lá passamos a correr. Parece que não devemos também deixar cair o colimador ou sujeitá-lo a impactos violentos (calcar agrafes com ele está fora de causa).

Ah, esta parte é mesmo importante: o colimador deve ser introduzido na câmara devagar, sem pressão, encostando-se de seguida a culatra gentilmente. Ignorar este pormenor pode fazer com que fique entalado na câmara. Escusado será dizer que não recomendo que o tirem com recurso a um arame enfiado pela outra ponta do cano.


FUNCIONAMENTO DO LASER

Bem, aqui não há muito para dizer. Quando aquilo acende, projecta-se uma luz numa parede ou noutra bodega qualquer. A visibilidade da bola vermelha depende do contraste das cores das coisas em que se faz incidir, e da sua capacidade para reflectir luz.

Nestas duas fotos podem ver um rasto, provocado na mesa da sala, e a luz vermelha, em forma de ponto, a bater numa cartolina preta.

Image Hosted by ImageShack.us


Image Hosted by ImageShack.us



UTILIDADE PRÁTICA DOS COLIMADORES

Apesar destas coisas terem sido desenvolvidas primariamente para lixar os gatos, como já VOS referi, a verdade é que podem dar – e dão mesmo – jeito para afinar as miras telescópicas e para descobrirmos coisas fenomenais.

A primeira dessas coisas que descobrimos com alguma surpresa é que nem todas as câmaras estão perfeitamente alinhadas com o cano, e pelas notas de ambos os fabricantes de colimadores, a coisa não é nada rara. Aliás, nem é considerado defeito.

A segunda coisa que nos bate na testa vinda sabe-se lá de onde é o facto de nem todas as miras telescópicas indicarem a esquerda como left (L) e a direita como right (R). Yap, pasmem-se. E o colimador prova-nos isso em segundos: as minhas actuais miras têm exactamente as mesmas marcas, com as mesmas letras, mas se rodar para a direita (R) na torre de acerto lateral, numa a cruz move-se para a direita e na outra para a esquerda. E pelo que ouvi já depois de ter constatado aquilo, não sou o único a reportar tal coisa. Naturalmente, as consequências disto são nenhumas, desde que não nos esqueçamos de qual mira roda para que lado.

Bem, prosseguindo… pela indicação dos fabricantes as miras devem ser acertadas entre os 20 a 30 metros, fazendo coincidir a cruz do retículo com a marca vermelha do laser projectado. Aqui que ninguém nos ouve, confesso que na mira de visão nocturna fiz a coisa a 50 metros, como o seu fabricante diz (Yukon), e na diurna a 100 metros, mais coisa menos coisa. E os resultados foram estes:

Mira nocturna: a bolinha vermelha ficou a coincidir pouco abaixo do o traço central do retículo que marca o tiro a 50 metros (a mira tem uma escala graduada com várias intersecções marcadas, uma para os 25, outra para os 50 e outra para os 100 metros).

Mira diurna: a bolinha vermelha ficou a coincidir poucos centímetros acima do retículo (Europeu 4A, com ponto vermelho).

Coisas a ter em atenção:

Dependendo da luz existente, da cor do alvo, das nuvens e tonalidades envolventes, a luz vermelha do laser pode ficar momentaneamente mais ou menos visível. Se não a conseguirem ver por qualquer motivo, aproximem-se por um bocadinho do alvo ou virem a arma para um objecto mais próximo, a fim de saberem onde bate a luz vermelha.

Se chegarem à conclusão, depois de todos os acertos e tiros finais de prova, que não há forma de a luz ficar a coincidir com as linhas do retículo, tal significa tão-somente que a câmara da vossa arma não está milimetricamente alinhada com o cano. Porém, como vos disse, não só não é grave como é comum, e ainda assim o colimador pode perfeitamente cumprir a sua função desta forma:

- Os fabricantes mandam-vos em conjunto com o colimador uma folha quadriculada com uma bola ao centro. Depois de acertarem a arma, coloquem a folha a 25 metros e façam coincidir a cruz do retículo com a circunferência central na folha; em seguida, memorizem em que quadrado bate a luz do laser e marquem-no com uma caneta. Após fazerem isto, guardem o papel, pois na próxima vez que quiserem acertar a mira ou saber se ela está certa, basta colocar o papel a 25 metros, apontar ao centro e ver se a luz bate no ponto assinalado antes. Deixo-vos aqui uma foto de um dos papéis fornecidos:

Image Hosted by ImageShack.us


Lembrem-se que o colimador foi feito para servir em várias câmaras de calibres similares, pelo que não devem mesmo forçar a sua entrada com a culatra. Nada de soltar o puxador das semi-automáticas à bruta pois cravarão logo o colimador no cano. Nem sabem o que vos espera depois para o tirarem de lá para fora (lembrem-se que aquilo não pode levar pancada).


CONCLUSÕES

Se soubesse o que sei agora, voltaria a comprar colimadores deste tipo. Sem dúvida alguma. A pior coisa que nos pode acontecer é irmos para o mato com uma mira desalinhada, e mais irritante a coisa se torna quando sabemos dias ou meses depois que aquilo tem andado assim há uma porrada de tempo. Com o colimador, sem darmos um tiro sequer, podemos em segundos ou minutos verificar se alguém andou a brincar com as torres da mira ou se alguns parafusos das montagem se preparam para nos tramar.

Mais, ao preço a que estão as balas, os colimadores são pedra angular numa primeira aproximação da linha do cano às linhas do retículo, evitando que gastemos munições que nem chegam a tocar no alvo, se este for pequeno. Para além disso, permitem-nos ver para que lado segue a cruz quando rodamos as engrenagens das torres, evitando que a terminologia usada pelos fabricantes de miras nos entale.

Image Hosted by ImageShack.us


Por fim, deixo-vos mais uma fotografia de um dos colimadores, desta vez ligado:

Image Hosted by ImageShack.us

 
                                >> Responder