Caça Menor      

 

 

A nossa maneira de estar na caça  05-05-2009 11:30:23 Escrito por António Luiz Pacheco  (1 Respostas)  

 

Para mim...  05-05-2009 15:47:51 Resposta por malaico   

 


A nossa maneira de estar na caça 

Visualizações 642

António Luiz Pacheco  05-05-2009 11:30:23
 
 

Já aqui expus a minha própria idéia sobre - Porque caçamos

Alguns de nós fizeram esse exercício, cuja finalidade maior, mais
do que fazer exame de consciência é de facto ajudar a defender as
nossas posições, ordenando idéias e argumentos, para nos dar a
forma de o poder explicar a outros e a sustentar a nossa paixão.

Muitos o não terão escrito aqui, e é pena... , mas o terão pensado e
assim se vão criando defesas, o que é importante.

Mas a reflexão não acabou... já teremos chegado a conclusões, de
porque caçamos - e cada qual sente o mesmo de modo diferente.
Agora poderemos reflectir sobre a maneira de estar, ou de praticar
a caça, a forma como nos comportamos e nos relacionamos.

Tenho tido na caça dos melhores momentos da vida!
Dela recolhi sensações e experiências, como vi coisas e conheci pessoas
que de outro modo seria difícil. Por isso, sou enquanto pessoa, muito daquilo que a caça e a sua envolvente me deu.

Das muitas pessoas que conheci pelo Mundo, nestas andanças da caça,
e em situações com ela relacionada, percebi que há muitas maneiras de
estar na caça, todas igualmente válidas.

Desse relacionamento e vivência, pude atrever-me a perceber qual a
minha maneira de estar na caça, e aqui a apresentarei... quantos não
vão identificar-se com ela? Quantos não antes perceber uma outra?

Os que caçam pela Natureza, os pelo troféu... os que pretendem uma
evasão, os caçadores de montanha... os estetas, os que vivem o companheirismo... tantas formas de estar!

È esse o desafio que Vos trago agora e que convido a juntarem-se a
mim de modo a fazer mais um exercício que acho importante, pois se
trata de nos assumirmos e conhecermos, e, de o apresentar... afinal a
forma de nos assumirmos Caçadores!

Para mim, a caça reside em 4 pontos:

1- O lance
O acto de caça em si, que começa na véspera com os preparativos
e a escolha do material. Depois o estudo e a abordagem do terreno de
caça, os aromas selvagens que o vento nos trás, as sensações do Sol e do
frio, do cansaço, da sede e da fome... o conforto do desconforto dos
pés doridos e da roupa molhada de suor. A procura do animal e a sua localização, as emoções, a expectativa e as ilusões. A morte deste é
uma consequência e a prova de que desenvolvi bem o trabalho...
Termina com o afagar das penas, o sentir do calor e da macieza de
um corpo e do seu calor, quando se faz uma festa à peça abatida.
È a última homenagem, pois que não o matei com raiva, e sim com
admiração, com amor! O respeito pelo animal que nos dá a dignidade com
que foi abatido.

.2 - A história
È o reviver do lance... o recordar dos pormenores e o descobrir de
detalhes que na altura nem reparámos... é a forma de continuarmos
e de se perpetuar o lance, de dar vida ao animal, como ainda de lhe o homenagear, pois que em cada lance ele foi o melhor, o mais bonito
ou o mais difícil... e ainda é uma forma de partilhar de se conviver.
O caçador adora contar e ouvir histórias, estas tanto são simples como
rebuscadas, e contá-las é como pintar um quadro, dando-se pinceladas
de beleza, destacando um pormenor e minimizando outro... é também
uma arte! Por isso temos fama de "mentirosos"... porque as nossas histórias
são muitas vezes fabulosas e só as entende quem as possa sentir:
outro caçador!
Costumo dizer em geito de graça:
Quem não é para mentir não é para caçar!

.3 - O copo e o petisco
È parte integrante da nossa condição e actividade, onde e quando
mais se conta a história, o melhor ambiente para se reviver o lance e
o mais propício para se trocarem experiências, para se falar de caça e
a celebrar, como se fora uma religião:
- São momentos de paz do caçador!

.4 - A amizade
Afinal tudo termina aqui, ao que nos une e a que os pontos anteriores conduzem... os lance que vivemos juntos, as histórias que partilhámos,
os copos e petiscadas em que celebrámos a nossa alegria de caçadores,
tudo reforça e cria a amizade entre Homens, tantas vezes de tão diferentes condições e meios, na educação, idade, países ou culturas!
Porém que conhecem essa amizade construída no lance, que riram e se abraçaram contando a história, e depois celebraram bebendo e comendo,
desde a noite dos tempos.

Fica aqui uma visão e uma tentativa de expor uma maneira de estar
na caça...
Aguardo com grande expectativa e interesse as Vossas próprias descrições

Um abraço

 
                                >> Responder