Caça Menor      

 

 

Procurando sangue com luzes estranhas?!  27-09-2009 23:10:13 Escrito por Phantom  (10 Respostas)  

 

Ora bolas...  28-09-2009 10:32:16 Resposta por Pedro Jorge   

 

Por falar nas facas  28-09-2009 11:13:55 Resposta por Phantom   

 

Joker knives  28-09-2009 11:59:16 Resposta por MIGUEL PEREIRA   

 

Joker  28-09-2009 15:17:01 Resposta por Phantom   

 

navalha joker  28-09-2009 15:33:38 Resposta por hernethehunter   

 

Confrade Miguel Pereira...  28-09-2009 16:17:17 Resposta por paulo farinha   

 

Óptimo  28-09-2009 19:53:19 Resposta por MIGUEL PEREIRA   

 

Faca de remate e truque para esfola.  28-09-2009 22:27:38 Resposta por alectorisrufa   

 

Manchas de sangue sem material reativo  28-09-2009 17:15:17 Resposta por hernethehunter   

 

Pois  28-09-2009 18:39:33 Resposta por Phantom   

 


Procurando sangue com luzes estranhas?! 

Visualizações 1336

Phantom  27-09-2009 23:10:13
 
 



Vêm aí o Outono e Inverno e parte dos esperistas de javalis das cidades seguirá para as terras com os canitos no carro, quanto mais não seja para darem uma ajuda nos coelhos e perdizes durante os dias de caça geral.

Com algumas excepções, alguns desses cães podem vir a ser úteis para localizar porcos feridos à noite, se nos dermos ao trabalho de os irmos buscar à aldeia quando furarmos um javali. Porém, seja por medo, capricho, desinteresse ou distracção dos quadrúpedes, podemos acabar por ser os únicos ali, naquela noite, com real interesse em localizar o javali ferido que não fique no sítio.

Precisamente para não dependermos tanto dos cães recorremos vulgarmente às lanternas e às luzes potentes, para conseguirmos seguir de pinga de sangue em pinga de sangue até ao porco perdido. Aliás, recentemente abri um tópico sobre isso mesmo, como devem estar lembrados.

Pois bem, no fim-de-semana passado, enquanto passeava na net, tropecei num equipamento com um nome chamativo: “blood tracking”, ou “”localizador de sangue”. Na prática, tratava-se de uma lanterna de colocar na cabeça, com leds vermelhos e azuis, alegadamente calibrados para salientar a cor vermelha no escuro. O fabricante referia-se à tecnologia como inovadora e patenteada, e a verdade é que depois de alguma procura por artigos similares de concorrência nada encontrei.

O preço daquilo rondava as 27 libras (30 ou 31 euros) e decidi mandar vir. Chegou na sexta feira.

A designação do produto é Gerber Carnivore Headlamp (Mossy Oak) e tou à vontade para falar disto porque tanto quanto sei ninguém em Portugal importa ou vende coisas destas (assim sempre fica claro que sou isento, ahahah).

Foto frontal da coisa:

Image Hosted by ImageShack.us


Ao alto, com a fita visível. O dispositivo acende-se com um toque naquele botão vermelho:

Image Hosted by ImageShack.us



Dá para separar da fita instantaneamente e até para botar na pala do boné ou num bolso. O alcance da luz, pela lenga-lenga do fabricante, é no máximo de 17 metros:

Image Hosted by ImageShack.us


Usa duas pilhas normais AA e vem embalado em plástico selado, com este papel:

Image Hosted by ImageShack.us



Quando aquilo se liga produz um círculo de luz azulada com limites vermelhos (por estranho que vos pareça, atendendo à disposição dos leds). A primeira imagem foi sacada sem controlo de obturação, enquanto que a segunda teve de ser aumentada a velocidade para 1/4000 seg. em f/36, de modo a conseguirem-se ver os leds acesos. A terceira tá algures no meio das outras duas, em termos de velocidade e abertura.

Image Hosted by ImageShack.us


Por brincadeira, fui buscar a matrioska mais pikena e meti-a em cima do tecido de uma cadeira da sala (é a mesma que tá nas 4 primeiras fotos, por estranho que vos pareça), e dirigi-lhe uma luz forte branca a partir de uma das lanternas cree (terralux). Dada a intensidade da luz, a máquina corrigiu automaticamente a exposição, tirando a foto em 1/40 seg. e em f/5.6 (daí que pareça cinzento).

Image Hosted by ImageShack.us


De seguida, acendi a luz azul e vermelha do dispositivo, a cerca de um metro, e o resultado foi o que tá abaixo. Como a intensidade da luz destes leds é muito menor que a branca da outra lanterna, a máquina teve de demorar 1/4 de segundo para conseguir registar a mesma imagem (o que em fotografia é muito – foi usado tripé).

Image Hosted by ImageShack.us



Não mexi muito mais naquela coisa naquele dia porque me raspei para a terra, mas das fotos tiradas deu para concluir coisas engraçadas. A melhor delas todas é a de o branco das luzes fortes iluminar todas as cores de igual forma, lolol, coisa que apesar de óbvio acho agora curioso. A segunda melhor tem a ver com o facto daqueles leds - que apesar de parecerem iguais aos antigos que noutros equipamentos víamos têm filamentos diferentes - com aquela mistura de cores e disposição, usando menos intensidade luminosa, conseguirem puxar pelos vermelhos presentes, sobre todas as outras cores, ainda que mais numas coisas que noutras.

Já depois de vir da terra, e por brincadeira, fui à dispensa, fechei-me lá dentro às escuras e liguei aquilo. Os pacotes de leite mimosa (cor-de-laranja) quase ficam florescentes, ahahahah. Outras bodegas que tenham rosa ou vermelho, sobressaem a todas as outras. Honestamente, não sei se aquela treta funciona assim no sangue, mas uma coisa é certa: nos locais onde faço esperas, nada no chão é vermelho, pelo que se alguma pinga lá ficar, aquela coisa não vai ter desculpa nenhuma para não denunciar o porco ou o trajecto da sua corrida.

Assim que eu tiver oportunidade para testar isto no terreno, com porcos furados, volto aqui a este tópico para dar mais info, para vos dizer se de facto serve para alguma coisa ou só para torrrar nota, se ajuda muito, pouco ou nada. Para já serve para brincar.

___________
Nota: se algum de vós atropelar algum gato, pelo amor de Deus não o botem fora! Desde que não perca o sangue todo no embate, metam-no num tuperware e mandem-mo, para testar isto em condições, lololololol ;-)

 
                                >> Responder