Caça Menor      

 

 

Caça e Conservação  03-05-2010 22:24:06 Escrito por DavidCorreia  (8 Respostas)  

 

MUI rápidamente...  03-05-2010 22:53:43 Resposta por António Luiz Pacheco   

 

Caça e bilogia  04-05-2010 11:14:21 Resposta por Luis Paiva   

 

Caça e bilogi  04-05-2010 11:14:22 Resposta por Luis Paiva   

 

Caça e bilogi  04-05-2010 11:14:23 Resposta por Luis Paiva   

 

Caça e biologia ...  04-05-2010 11:15:51 Resposta por Luis Paiva   

 

Caro David Correia  04-05-2010 13:30:37 Resposta por joaoacabado   

 

Caça e Conservação  04-05-2010 15:34:41 Resposta por r_martins   

 

Caça e Conservação  29-06-2010 19:17:39 Resposta por erresse1   

 


Caça e Conservação  

Visualizações 793

erresse1  29-06-2010 19:17:39
 
 

Caro David

Parabéns pelo interesse neste tema, e muito obrigado.

Relativamente às questões colocadas no seu escrito, cá vai:

Consideram que as espécies cinegéticas são mais protegidas ao serem caçadas do que se não tivessem esse estatuto?

A resposta a esta pergunta está na própria existência hoje em dia de espécies cinegéticas em Portugal, após um período de extermínio indiscriminado, durante mais de 20 anos.

Mas para conclusões de ordem mais científica recomendo-lhe que visite o site da ANPC (http://www.anpc.pt/), onde fácilmente poderá encontrar uma série de organismos (ELO; Friends of the Countryside; etc...), para além dos próprios caçadores, que também foram os principais percussores destes, e que se dedicam ao estudo e implementação no meio natural de medidas de base científica para conservação e promoção, tanto das espécies cinegéticas como das que delas dependem, uma vez que sem a dita biodiversidade a sobrevivência das espécies cinegéticas, ou não, estará em sério risco.

A título ilustrativo, veja o caso específico do Lobo no nosso País, cuja progressão é prácticamente nula porque não é uma espécie cinegética, contrariamente à franca progressão da espécie em Espanha, onde é espécie cinegética.

Na mesma proporção, veja o caso do corço, cuja progressão em Portugal é prácticamente nula, comparado com a progressão em Espanha, onde a sua caça é autorizada e promovida.

Quando comparo o caso Espanhol com o nosso é exclusivamente porque é o nosso único vizinho, porque se formos comparar com outras regiões da Europa então a notoriedade dessa diferença é abismal, o facto é que lá, tanto as espécies que atrás lhe referi como outras, progridem, e cá não.

- De que modo a caça influencia os locais onde é praticada?

Quando refere locais quererá referir-se a regiões presumivelmente, e em relação a isso, estão bem patentes, tanto no nosso país como nos demais, as diferenças ao nível socioeconómico das regiões onde não se caça, e das regiões onde se caça.
Não há caso mais ilustrativo que o da Holanda, para me referir só ao território Europeu.

- Consideram a actual legislação adequada para a conservação das espécies cinegéticas?

Sem mais delongas, NÃO.

- Outros tópicos que considerem relevantes.

Termos chegado já a um estádio de desenvolvimento desta actividade em Portugal, pelo qual é possível obter mais-valias, pelo simples facto de certificarmos os nossos terrenos de caça de acordo com o sistema “Wildlife Estates Label” – sistema europeu para certificação de propriedades com elevado valor para a conservação de recursos naturais, desenvolvido por um conjunto de ONG´s e Entidades Estatais Europeias ligadas à caça e à gestão e exploração de recursos naturais.

Na minha opinião deveria constituir uma ambição e um objectivo nacional, aliás mesmo, obrigatório para todo o território cinegético.

Termos um exemplar “Plano Global de Gestão Cinegética”, infelizmente unicamente na III Região Cinegética, com tão bons resultados, e não ser este método seguido pelas demais Regiões Cinegéticas, sobretudo pela 1ª.

Sendo um tema tão apaixonante como complexo muito mais haveria a dizer, mas cá fico à sua disposição.

Um abraço, e votos de muito sucesso.

erresse1

 
                                >> Responder