Caça Menor      

 

 

E lá vai lebre... CARTUCHOS!  07-10-2010 19:48:32 Escrito por António Luiz Pacheco  (15 Respostas)  

 

A maioria dos cartuchos matam...  07-10-2010 20:39:50 Resposta por paulo farinha   

 

Nada como alvejar o produto!  07-10-2010 21:29:50 Resposta por joaoacabado   

 

Depende  08-10-2010 11:52:18 Resposta por cabrita   

 

CARTUCHOS, NA-SÊ  08-10-2010 13:55:48 Resposta por andarilho   

 

Ora aí está um bom conselho!  08-10-2010 14:01:10 Resposta por joaoacabado   

 

…mais lenha pá fogueira.  08-10-2010 19:19:52 Resposta por jffs-B52   

 

Então mais um páuzito pá dita  08-10-2010 19:49:40 Resposta por andarilho   

 

Mesinha contra cartuchos falsificados.  09-10-2010 11:57:18 Resposta por Jaime   

 

A brincar...a brincar...  09-10-2010 14:32:49 Resposta por joaoacabado   

 

Claro que é a sério.  09-10-2010 18:55:18 Resposta por Jaime   

 

Olimpicos, mas de bicicleta...  09-10-2010 21:27:18 Resposta por andarilho   

 

Obviamente...  10-10-2010 16:17:57 Resposta por Pedro Jorge   

 

realmente  10-10-2010 23:22:33 Resposta por Alex1964   

 

Eia o que para aqui vai!  11-10-2010 13:36:43 Resposta por António Luiz Pacheco   

 

De facto...  11-10-2010 22:50:50 Resposta por joaoacabado   

 


E lá vai lebre... CARTUCHOS! 

Visualizações 1616

António Luiz Pacheco  07-10-2010 19:48:32
 
 

Ou seja... vou levantar esta lebre, que tanta paixão e opiniões desperta, estimando que acha muitos tiros... e a enrolem!!!!

Já por aí começaram a surgir "rastros" dela... um que pergunta se sabem que
cartucho é aquele com que "matou bem", um outro pergunta que cartucho deve usar...

O cartucho é sempre um ponto alto nas discussões de caçadores!

Mas, na verdade a importância do cartucho é efectiva e real ou psicológica?

Explico...

Durante muitos anos matava o que e como calhava, enfim tinha dias... e nem
por isso fui considerado grande espingarda (no ar... que no chão sempre matei
dentro do médio-alto).

Usava tudo o que era cartucho... uns carregados por nós e muitos eram dados
a meu avô e pai, que prestando serviço na extinta comissão de explosivos recebiam sempre uma ou duas caixas de cartuchos "especiais" ... e devo ter
atirado com tudo que se carregou em Portugal, até final dos anos 80.
Nunca me passou pela cabeça atribuir ao cartucho os resultados... era marteleirice e pronto! Apenas alvejada a arma e sabia com o que podia contar
dela... o resto era por intuição...

Depois houve uns anos em que cacei de facto muito, em bons coutos lá do Chico Torres, aos coelhos e perdiz... e comecei a matar, digamos com muita regularidade e creio poder dizer ter sido um atirador mediano... no entanto sempre me considerei "bom" a matar coelhos, a sato e no mato, diga-se... sou
mais chofrador que apontador.
Nesta altura, comecei a olhar (porque lidando com muitos e mais caçadores,
algunsmuito bons...) para o cartucho e até a lembrar algumas coisas que ouvia
em casa do meu amigo Acabado... e então foi a época do Melior e do Rio... os
dois cartuchos que mais gostava e passei a usar sempre por hábito e me sentir confortável com eles... na verdade se matava isso devia-se a andar mais batido
do por causa deles mas... lá está, o tal conforto... a psicologia...
Paralelamente usava os disperssores da Casa Gerardo... a que estava habituado e por muitos anos... ainda tenho uma boa reserva deles (e gostava muito dos
da Casa Diana de Lisboa) pois já não caço ao coelho como em tempos... quando gastava 10 caixas numa época...

Depois, actualmente já atiro outra vez menos... ele é a crise financeira entre outras razões, como o ir a sítios com menos caça... muitíssimo menos, o que me baixou outra vez para o nível do "tenho dias"... e não é que mantive apenas a parvoíce de olhar aos cartuchos, sabendo perfeitamente que as performances mais fracas têm a ver com o atirar menos!

Foi por isso que meti na cabeça que os cartuchos Melior não me serviam...
Explico: Eu tinha ainda muitos cartuchos em casa dos tempos áureos... e por
algum tempo, coisa de uns 3 anos não os comprei... até que o ano passado
precisei e fui-me abastecer com os Melior...
Pois logo na primeira vez que os usei e de seguida, foram-se embora 3 perdizes! Não foi o irem-se embora e sim o como! Ora eu sei como atiro e tenho perfeita noção de que errei por apontar mal... ou por outra coisa... e de facto 3
perdizes, todas de cú, bem centradas e a boa distância que deixaram o casaco
a fluctuar e se foram... caindo uma depois em cima de um pinheiro e outra bem longe... a outra não sei... dão que pensar!
Alguém se me queixou do mesmo... e depois outro...
Como quem não quer a coisa vou ao meu espingardeiro (antiga Casa Gerardo em Santarém) para sondar, e não é que aparece um veterano a queixar-se que
tinha comprado uns cartuchos daqueles e ido aos pombos... e os pombos era só largar penas e abalar!
Corria em todos os mentideros que a Melior tinha mudado as cargas, que estava a exportar... e logo pensei que por razões de concorrência e para o cartucho ser mais barato, tivessem baixado a qualidade, estratégia muito frequente entre os
nossos "empresários"...
Depois me garantiram que não e quase fui linchado... mas fui fazer testes à
dispersão com umas sacas de papel ali na cerca de arame, e cada tiro era uma coisa completamente diferente... desde um totalmente embalado a 30 m em que a bucha atravessou o papel, até uma dispersão superior a um cartucho com
disperssor-mesmo!
E depois à barra de sabão... mal a arranhavam! Ou seja perfuração quase nula!
O certo é que não consegui usar mais aqueles cartuchos, fosse deles ou não, a responsabilidade, mas não me sentia seguro, estava desconfortável e já levava a arma à cara com a sensação de que não ia matar... logo os pus de parte!
Comprei outros e recuperei a confiança!
Não posso dizer que estou a matar "muita bem"... não pois continuo com menos
uso e por isso existe o handicap, mas pelo menos estou confiante e confortável!

Portanto repito a minha pergunta e provoco a discussão... qual a vossa opinião?
Os cartuchos são assim tão importantes ou é mais o efeito psicológico?
Claro que não falo de cartuchos onde a pólvora é substituída por areia ou o chumbo nem redondo é... e sim de cartuchos DECENTES.

Evidentemente que se põem depois outras questões... cargas, pesos, pólvoras e até buchas... mas isso fica para outra.

Um abraço à Confraria e se não tiverem mais com que se entreter vá de fogo a esta lebre!

 
                                >> Responder