Caça Menor      

 

 

JORNADAS DA FEIRA DA CAÇA EM MÉRTOLA  26-10-2010 20:15:57 Escrito por António Luiz Pacheco  (0 Respostas)  

 


JORNADAS DA FEIRA DA CAÇA EM MÉRTOLA  

Visualizações 823

António Luiz Pacheco  26-10-2010 20:15:57
 
 


Ali fui na sexta-feira dia 22, e só tenho a lamentar a falta de tempo – pois começou tudo muito atrasado – como a de assistência… ou porque não se pôde (a hora e dia?) ou porque de facto a nossa Confraria participa pouco com a presença física nestas outras actividades complementares mas igualmente importantes e cada vez mais! Dão força à nossa Confraria e pretensões.

Sobre a perdiz vermelha, foi muito interessante ouvir o representante dos caçadores espanhóis falar do seu problema com a pureza genética e o alerta para que em Portugal não se vá pelo mesmo caminho… agora vão certificar a perdiz ibérica, ao que Bruxelas já acedeu, reconhecendo a mais valia.
Foi do mais interessante, ouvir depois gestores cinegéticos da região, em particular aquele que avisou para o facto de os bebedouros serem uma fonte de contágio para a perdiz ao permitir que todas as espécies, sobretudo os pombos domésticos que são uma fonte de maleitas, caguem e tomem banho neles… preconiza que a sua abertura deve ter no máximo a circunferência de uma moeda de euro! Assim só se bebe e não conspurca a água!

Sobre o lince foi igualmente interessante ouvir a exposição do ICNB e das entidades envolvidas no projecto de conservação… apenas diria à Vice-Presidente do ICNB que quando fala no “princípio da precaução” que aplicam para proibir tanta coisa, tenha atenção a que igualmente por precaução, pode haver quem faça desaparecer aquilo que se quer proteger, precavendo que o ICNB não venha apossar-se do que é de cada um… ou que depois haja tantos fogos em zonas protegidas, que só não entende quem não quer…
Oportuna a observação do representante dos espanhóis, “onde há lince não há raposa”… e que é uma opinião de que eu partilho inteiramente… e acho deve ser usada como argumento maior junto dos caçadores: - O lince (e as águias grandes) são os melhores “bicheiros” de um couto, ao conterem as outras alimanhas que são bem mais daninhas pois ou os matam ou obrigam a manter nos lugares mais escondidos, limitando-os!

Depois o debate sobre as alterações à lei das armas que prometia e teria sido uma jornada quase histórica se tivesse havido tempo e audiência…
Miguel Sousa Tavares no seu melhor… a moderar com autoridade e o humor sarcástico que se lhe conhece. Não é nada parvo… e chegou-lhes algumas bem metidas!
O Dr. Orlando Romano foi uma pena não lhe darem o tempo que merecia para ler todo o articulado da lei que trazia e onde apontava com clareza o que achava mal, até inconstitucional, ilegal etc! E foram uma data de artigos, fora os que não pode dizer… um discurso algo diferente daquele de quando foi à Expocaça, tentar deitar água na fervura… porque é que não é ele a preparar uma nova lei? É que o que nasce torto nunca se endireita… ele é juiz, já foi polícia, é caçador… tem tudo o que é preciso!
Jacinto Amaro, bem só lhes digo que foi a primeira vez que lhe bati palmas com vontade! Esteve bem e disse alto e bom som o que tinha de dizer… a lei é um absurdo!
O Artur Guerin… pois esse esteve no seu costume, frontal e directo, sem temor nem tremer, entusiasmado e altissonante! Falou e bem…
Os Secretários de Estado, com destaque para o da Administração Interna, Dr. Conde Rodrigues, ouviram e pareceram querer perceber e aceitar que de facto… mas não parecem sempre? Afinal compete aos políticos manter-nos a ilusão… vamos a ver se as alterações prometidas de facto nos vão ajudar e como.
Mas fica sempre a pergunta… havendo políticos, juristas, juízes, advogados, membros das forças armadas e de segurança (até na Interpol), e tantos outros que são caçadores, porque é que não constituem com eles um grupo de trabalho para parir uma lei que seja de uma vez por todas, simples, clara, exequível e rigorosa? Mais remendos? Por favor…

Não fui ao jantar islâmico com medo fosse ortodoxo e não haver vinho nem presunto!

PS - preferi ir comer uma cabidela à do Confrade João Acabado acompanhado
de um Terras do Suão que está de beber e chorar por mais!

 
                                >> Responder