Caça Menor      

 

 

estávamos no ano de 1924...  28-06-2011 0:57:42 Escrito por velhomurtigao  (24 Respostas)  

 

Bonito relato ...  28-06-2011 10:58:35 Resposta por Luis Paiva   

 

AH! AH! AH! AH! AH! AH!...  28-06-2011 10:59:56 Resposta por jffs-B52   

 

Valha-nos estes BONS…  28-06-2011 12:33:23 Resposta por jffs-B52   

 

João Acabado,o teu amigo...  28-06-2011 12:59:46 Resposta por velhomurtigao   

 

...que á muito não dizem nada?!  28-06-2011 20:04:39 Resposta por erresse1   

 

AH!AH!AH!  28-06-2011 22:06:55 Resposta por joaoacabado   

 

Contaram-me esta...  29-06-2011 0:33:38 Resposta por erresse1   

 

confrade Murtigão  28-06-2011 19:12:04 Resposta por Alex1964   

 

A história que a seguir  29-06-2011 8:54:11 Resposta por Jaime   

 

dois em um.  29-06-2011 12:10:47 Resposta por arcanais   

 

Pois confrade Arcanais,  29-06-2011 13:58:10 Resposta por Jaime   

 

Ele há coisas ...  29-06-2011 14:14:38 Resposta por arcanais   

 

Bravo, bravo...  29-06-2011 16:52:21 Resposta por JMestre   

 

Confrade J Mestre,  29-06-2011 18:33:45 Resposta por Jaime   

 

Lagartas???  29-06-2011 20:03:24 Resposta por JMestre   

 

o velhote tá-se preparando...  29-06-2011 20:51:54 Resposta por velhomurtigao   

 

Hoje deu-me para as histórias, hehehe!  29-06-2011 23:42:54 Resposta por Jaime   

 

Ainda á dias alguém…  30-06-2011 10:38:40 Resposta por jffs-B52   

 

Caçador muita sabedor.....  30-06-2011 11:03:37 Resposta por arcanais   

 

ora tás a ver,Arcanais?  30-06-2011 11:30:06 Resposta por velhomurtigao   

 

Outra cena engraçada...  30-06-2011 12:12:04 Resposta por arcanais   

 

eheheh...  30-06-2011 11:22:24 Resposta por JMestre   

 

há dois dias que me falta...  30-06-2011 12:52:05 Resposta por velhomurtigao   

 

O verdadeiro Caçador  30-06-2011 16:47:11 Resposta por jcosta   

 


estávamos no ano de 1924... 

Visualizações 1316

velhomurtigao  28-06-2011 0:57:42
 
 

tinha morrido Vladimir Lenin,chefe de estado russo e Nilo Peçanha,presidente brasileiro,tambem.as ambulancias ainda nã tinham ar condicionado...bem,isso nã interessa pra historia que lhes vou contar...eu já era um homem feito e dava aulas de caça em Santo Aleixo e o meu compadre Dom Covarsi(grande caçador espanhol) no rosal,espanha, financiados por a CEE, e por sermos os melhores mestres q´havia nos dois países.eu,dava aulas ondé agora a taberna do Barnabel e tinha 50 alunos...uns bons,outros mais ou menos,outros ruinitos. daqui de Santo Aleixo,havia dois bons, Bento Lela e Mario Vintecinco. fiz deles dois homenzarrões,dois velhacos na arte da caça!!! certo dia,em plena aula,irrompe Carapinha mais velho(marteleiro muito conhecido) e muito aflito,diz-me: mano mestre sr Velho Murtigão,uma desgraça muito grande que só um grande mestre com´ócê pode resolver!!! atão diz lá o que foi....ele,ainda mais aflito:mano mestre,as joldas já nã querem ir á caça á serra da gata! parece que quatro perdigões reais se apoderaram do cerro grande e nã deixam ninguem lá arrimar, já feriram 14 homens das melhores joldas da região!!! ...homem esta...tenho que resolver isto antes que alguem s´aleije a serio,disse-lhe eu prontamente!!! Carapinha,vai buscar o teu ferro,eu chamo o transporte. dei um assobio...e nada.dou outro..nada! ah,já m´alembro! o meu burro MARIANO(foi sempre o meu sonho,ter um burro chamado Mariano) foi á dos desparasitadores concerteza...os desparasitadores eram nem mais nem menos que as duas maiores e unicas desgraças da aldeia, velhomerdatigao e velhocagatigao,nomeados por o governador civil de Santo Aleixo e cuja função era catarem os carrapatos da tomatada dos burricalhos que pertenciam ao povo. e eram bons naquilo,os animais fartavam-se de zurrar com os olhos torcidos. lá estava,pois atão! montei-me nele,já com os tomates limpinhos,peguei em Carapinha e lá fomos nós...chegamos ao fim de duas horas...imperava um silencio absoluto...era a lei dos terriveis perdigões,espalhavam o terror na serra, tendo afugentado até os ultimos leões que lá havia! e lá tiv´eu explicando comé q´os iamos entalar,disse-lhe: tu agora vais chapada acima e eu vou cortando a terra a meio...arrancámos e quando tinhamos andado uns cinquenta metros ouço a revoada dos ditos perdigões...e vejo-os!!! direitos ó Carapinha velozes que nem falcões ladeira abaixo rasando as carapetas das estevas...e de repente ouço um grande porradão e Carapinha desaparece no meio duma nuvem de pó e penas...qondo se começa a ver,eu nã queria acreditar!!! Carapinha tava caido de costas,esperneando,com os quatro perdigões espetados na peitaça,esperneando tambem! e dando ás asas! eu juro,foi a unica vez que tive receio na minha já longa vida...atenção,eu disse receio,nã disse medo...e pensei rapidamente e sozinho: tenho q´ir ajudar aquele desgraçado rapidamente!!! e parti fugindo com as minhas velhas mas robustas pernas mato afora...quando lá cheguei já era tarde,os perdigões tinham desenterrado as cabeças do peito de Carapinha e fugido e um grifo já lhe tava arrancando o dedo gordo do pé direito,o pé com q´ele jogava á bola...o homem tava gravemente ferido,quatro buracos no peito e um dedo pendurado...dei um assobio a Mariano e prontamente chegou. pego em Carapinha,jogo-o assim como se faz ás sacas de batatas do contrabando,amonto-me tambem e toca pra aldeia. na viagem,pus-me a pensar:este q´aqui tá,bate os atanazes antes de chegar á aldeia...tenho que procurar um medico....mas onde...? já sei! o porta aviões americano USS ENTERPRISE que tá atracado no ARDILA(o meu eterno subalterno) tem um medico,vou já pra lá! assim fiz e deixei Carapinha,entregue aos marines...e eu...eu nã conseguia deixar de pensar naquilo,nem jantei! tive pensando outra vez sozinho e muito bem acompanhado de mim proprio..e descobri uma maneira d´entalar aquelas quatro feras!!! primeiro,comuniquei com João Acabadão atraves de sinais de fumo e expliquei-lhe o que se tinha passado e que queria que ele me fabricasse 2 cartuchos especiais que matassem os quatro perdigões ao mesmo tempo...João fez fogueira na Amareleja ás 4 da manhã,dizendo: já tá,Velho Murtigão,vou enviar-tos nas garras duma aguia real,uma ave á tua altura!! eu,na fogeira de Santo Aleixo: que SANTO HUBERTO te proteja,João!...assim que me apoderei daquelas magnificas munições,pensei: só me falta arranjar um batedor que se transformará em mochileiro dos quatro terriveis quando voltarmos desta cruzada...e pensei em meu aluno Mario Vintecinco! disse-lhe: queres ir á caça com o mestre? s´ócês o vissem,tava mais contente q´uma pega sem rabo!!! e diz-me: vou buscar 6 ou 7 sacas de sarrapilheira para carregar a caça toda que o mestre vai caçar!!! eu,muito calmo:nã,pérai...traz só um araminho,são só quatro bicos...ele,com medo: mestre,nã me diga que me quer levar ao cerro amaldiçoado por os perdigões reais?...quero sim,confia no mestre,digo-lhe eu confiante....e o rapaz desata-me num pranto! havia baba e ranho com fartura...lá lhe tive explicando que comigo,tava seguro,tinha dois cartuchos especiais e tudo...e Mario diz: mestre,vou a casa,já venho,tá bem? tá bem,vai lá...e eu cá pra mim: vai s´adespedir da familia! é mais certo que 2 mais 2 serem 22.! daí a cinco minutos,aparece. o velhote nã acreditava no que tava vendo...trazia um capacete dos soldados alemães enfiado na cabeça,daqueles de metal,e tambem trazia uma pele de chiba,já curtida, amarrada ao peito por dentro da camisa a fazer assim de conta q´era um colete á prova de balas!! eu fiquei surpreeendido,mas pronto,um Vintecinco prevenido vale por dois!!!lá partimos os dois,mais o Mariano c´a gente ás costas,pois atão! lá chegados,expliquei-lhe: agora deixas o velhote adiantar-se de rojo,rente ao chão até aquela rochinha e quando me vires lá,arrancas tu chapada acima q´o velhote tá preparado para derrubar os quatro logo á saida deles no alto do cerro...assim foi,Mario vai andando...e ouço-os! mas desta vez,com o velhote preparado,a musica era outra...assim que meti o ferro á cara,vi logo três darem um trambolhão....o quarto,escapou-se áquela temivel rede de chumbo q´eu lhe tinha enviado por os canos da minha sarrasqueta de cães e encaminhava-se furiosamente direito a Mario! só me lembrei de lhe gritar: BAIXA-TE,MARIO!!!! assim fez,baixou-se,o perdigão bateu no capacete q´ele se tinha lembrado de levar e muito bem,fez ricochete e ficou espetado na cachaperna dum chaparro seco. teve morte instantanea,a fera. o Mario fartava-se de saltar,de contente...e eu tambem esboçei um sorriso,ao de leve...a justiça estava feita,reinava agora a paz na serra...lá enfiamos os bicos no araminho,com´eu tinha e muito bem dito e assobio,chamo transporte burrical prá aldeia...uma vez lá chegados,armou-se a festa! as mulheres fizeram uma bela canja com os quatro galaroiços reais e juntou-se o povo todo...e Mario nã tirava nem capacete nem pele de chiba de cima,tava tão feliz que nem s´alembrava....ehehehe....mais tarde,alembrei-me de Carapinha e peguei numa canja e levei-lha...quando lá cheguei...nada! nada do porta aviões,nada de Carapinha...pergunto ao homem do moinho se tinha visto alguma coisa e diz-me: os americanos abalaram e levaram o aldeano de Santo Aleixo,o homem só o que dizia é que tinha medo das perdizes,não o fizeram descer de maneira nenhuma...e atão,levaram-no.... bem,valeu a intenção do velhote,nã é? bem, esteja onde estiver hoje em dia,espero que esteja melhor...tou-me referindo á marteleirice,pois atão!!!

esta foi mais uma historia que se passou aqui,no profundo e misterioso reino do Velho Murtigão.

"BORN TO BE WILD"

 
                                >> Responder