Caça Menor      

 

 

esta historia é dedicada sobretudo aos amigos...  09-08-2012 21:38:58 Escrito por velhomurtigao  (24 Respostas)  

 

Obrigado  10-08-2012 9:41:00 Resposta por ZeVintecinco   

 

e fizeste bem...  10-08-2012 14:10:19 Resposta por velhomurtigao   

 

meus amigos, desta vez é q´i é...  10-08-2012 14:17:42 Resposta por velhomurtigao   

 

Mestre… então?!  10-08-2012 16:04:59 Resposta por JulioSousa   

 

Desaparecer????  10-08-2012 16:51:47 Resposta por ZeVintecinco   

 

Longe de mim pôr em causa a  10-08-2012 20:15:24 Resposta por joseneves   

 

boa noite!  10-08-2012 23:51:48 Resposta por velhomurtigao   

 

Mas não ....  12-08-2012 19:34:57 Resposta por Luis Paiva   

 

boa noite Luis Paiva!  12-08-2012 23:49:33 Resposta por velhomurtigao   

 

Afirmatvo ...  13-08-2012 10:13:19 Resposta por Luis Paiva   

 

os amigos ajuntam-se!!!  13-08-2012 15:16:02 Resposta por velhomurtigao   

 

Amigo velhote  18-08-2012 12:31:57 Resposta por zefigo   

 

tás mais atrapado...  20-08-2012 10:31:44 Resposta por velhomurtigao   

 

Cheguei  14-08-2012 23:55:51 Resposta por fscooter57   

 

Não me lembro ...  15-08-2012 10:33:15 Resposta por Luis Paiva   

 

Amigo Lui´s Paiva  20-08-2012 1:24:47 Resposta por fscooter57   

 

Amigo Luís Paiva  20-08-2012 1:28:06 Resposta por fscooter57   

 

e seja muito bem...  20-08-2012 10:33:31 Resposta por velhomurtigao   

 

Ó meu caro amigo Mota, então  15-08-2012 21:46:20 Resposta por joseneves   

 

meus amigos e minhas amigas...  16-08-2012 10:33:20 Resposta por velhomurtigao   

 

ena pá!!! o desassossego que vai...  16-08-2012 14:47:07 Resposta por velhomurtigao   

 

Dia de abertura  16-08-2012 15:34:21 Resposta por jcosta   

 

Dia de abertura  16-08-2012 15:49:59 Resposta por jcosta   

 

És o Mestre !!!  08-10-2012 18:02:18 Resposta por Gonçalo Roquette   

 


esta historia é dedicada sobretudo aos amigos... 

Visualizações 1321

velhomurtigao  09-08-2012 21:38:58
 
 

esta lua fui a Alqueva...
fazer esperas ós bacoros á "Quinta", do meu amigo Francico Avillez, Chico Avillez prós amigos, um marteleirote conhecido e reconhecido nacionalmente e internacionalmente, aqui em Alqueva e em qualquer parte do mundo...Chico tem a estatura dum pigmeu da selva do "Bornéu" e erra como se tivesse quatro metros d´altura...e foi graças a ele que se descobriu o estigmatismo, doença q´o acompanha e q´a ciencia desconhecia..homem valente! e por falar em Alqueva, eexiste o mito dos homens caçadoiros daqui serem muito possessivos,muito garganeiros com a caça q´abatem, nunca levando as presas prá aldeia devido ás perseguições e emboscadas q´a guarda lhes fazia na estrada d´alcatrão... e um belo dia, Francico Rosa, Chico Malvarisco prós amigos, q´é dono e possuidor da posse contemporanea da matilha de caça maior " Pernedos de Alqueva", puxou fogo a um cerro e lançou sinais de fumo q´eu recebi e li em Santo Aleixo da nossa religiosa Restauração, capital cinegetica mundial: "grand´amigo e grande mestre Velho Murtigão, encaminhe-se muito bem encaminhadinho e direitinho ao " ninho de corvo" (mancha crençuda de bacoragem e alguma veadagem perto da barragem d´Alqueva) pra nos ver a caçar, corrigir-nos e se for possivel, Deus queira que sim, ensinar-nos algumas tecnicas q´a gente nem sequer sonha com elas"...e eu lá fiz grande fogueira e respondi-lhe: " já praí vou a dar-lhes os meus valiosos, caros e intemporais ensinamentos,Chiquinho..." e lá abalei eu, todo confiançudo como é proprio e caracteristico nas minhas atitudes bispais/murtigonezas...eu estimo muito Chico Malvarisco, bom rapaz...tem cabeça d´andorinha, olhos de bufo real,é franzino e tem o corpo alongado, estio e esguio fazendo lembrar o elegante corpo dum sacarrabos femea...ao fim de duas horas lá cheguei, amontado no meio de transporte mais seguro que há, no meu burricalho Mariano, estafado da viagem...e chegou outro convidado, Francico Palhavã, Chico Palhavã prós amigos...inconfudivel: corajoso, a arma com os canos torcidos depois dele a ter atirado pra debaixo dum comboio desesperado com os erranços, barbicha multicolor e d´aparencia muito, mas muito chibateira...tinha vindo de Portel com um jovem secretário e afilhado dele proprio, Miguelito Almeida, Miguel prós amigos, jovem caçadoiro e por conseguinte, claro está, tem fisionomia marteleiristica e acompanha sempre o padrinho nas caçadas, sendo-lhe facultada a oportunidade, muitas vezes, de dar tiros na atmosfera terrestre, e claro está, atmosfera nã enche pança... e tinham vindo amontados numa égua branca...e aluada! eu pensei logo: "isto vai ser uma carga de trabalhos pra dominar o sentido lavradoiro do meu Mariano...". depois de Palhavã e Miguel darem o beija mão ao velhote, Malvarisco já tinha dado, e de terem mamado uma hostiazinha q´o velhote transporta sempre pra estes casos d´emergencia no alforge do asno burrical, fomos caçar!!! e lá partimos prós postos, eu e Chico Palhavã. Chico marteleirão, perdão, Chico Malvarisco foi pró local de solta, sabendo dos encamadoiros dos bacoros era tiro e queda...eu e Palhavã ficámos distanciados uns trinta metros um do outro e deixámos o burro e a égua numa limpa atrás de nós, a uns vinte metros,e Palhavã diz: "ó Miguel, fazes-m´um favor? ele: " faço sim senhor, padrinho, é só dizer!" Palhavã: " atão, toma lá o correio da manhã e vais fazer assim: se vires o burricalho com o guindaste armado prá Mariana, metes-lho á frente pra ele nã charruar, tá bem?" . Miguel: "vou fazer tal e qual o padrinho tá dizendo, teja descansado..." eu pensei logo: tás amanhado!"...e nisso,Malvarisco solta os cães!nã tardou nada, um cão ladrando de parada, depois mais um e mais outro e...dá-se uma ladra geral e generalizada!!! e ao mesmo tempo, atrás de mim, começo a ouvir Mariano zurrando e espeidorreando sem destino e quando olho pra trás, já era tarde...Mariano já tava com cinco pernas, uma delas central, e a égua de Palhavã escancarando-se...nesse momento,os cães arrancam com o bacoro chapada abaixo, lascando mato, e eu nã pude sair da porta pra enxotar o burro...mas o bacoro tinha ouvido o burro zurrando desalmadamente e parou-se, tendo sido agarrado por a matilha inteira, preferindo entregar-se ás mandibulas dos canideos do q´enfrentar a cachamorra burrical !...eu, aproveitei pra olhar outra vez prás bestas e...já nã havia nada a fazer! Mariano tinha a marreta toda atranvancada na égua de Palhavã e zurrava d´alegria q´até entoava a mancha toda...Palhavã vira-se e pergunta a Miguel:" atão, isso já foi,não?" Miguel:"ó padrinho, foi q´até foi lendo, levou-lhe as paginas centrais até ao fundo do utero da sua bela e poderosa égua..."..e entretanto, cães de Malvarisco começam a ganir e a uivar, fazendo lembrar os lobos da "Serra Morena"...e eu, espantado com aquilo, eu disse espantado, nã disse assustado, atenção ás sabias palavras do velhote, corri lá a ver o q´é que se passava...qual nã é o meu espanto quando vejo por entre as estevas a matilha inteira de rabos entre as pernas,menos os rabitos,claro, gemendo e tremendo de medo, e Chico Malvarisco lascando e devorando o bacoro inteiro!!! tripalhada e tudo! aí dei razão ao mito, era verdade...eu nem lhe disse nada, pensei: " encarniçado como tá, larga o bacoro e devora-me tambem...". vim-me sacudindo sem fazer barulho pró meu posto e fiz sinal a Palhavã pra nã dizer nada, q´eu tratava daquilo...daí a pouco, Malvarisco rompe do mato perto de mim, ainda com uma castanhola d´atravessado na boca...e eu, sem temer nada nem ninguem, meio atravessadiço com ele, perguntei-lhe: "Malvarisco, o q´é que tu trazes pendurado dos teus proprios queixais?" ele, tarrincando á pressa pra eu nã ver: "o quê, mestre Velho Murtigão?" eu: parecia que trazias um bocado de restos mortais dum bacoro na tua boca!...ele, rotando de farto que nem um grifo: "ah, já sei, foi só o que sobrou, os cães mamaram o javardo todo á gente...e eu aproveitei e provei um taçalhinho q´eles deixaram pra trás..." tá bem Chico, disse-lhe eu, fazendo-me de parvo...e o sangue fresco escorria-lhe aos cantos da boca e as fezes escorregando por a camisa, safões e polainas abaixo...e disse-lhe: "Chico,dá mais uma pancadinha nessa embeirada, pode ser que teja praí outro bacoro deitado"... ele: "tá bem,mestre, vou já...". assim que desapareceu da minha velha mas certeira vista, contei a Palhavã o sucedido e desde logo combinamos fugir dali a sete pés porque tanto eu como ele temos filhos e no meu caso tetranetos pra criar...arrancámos fugindo prás nossas montadas e ficámos sem acreditar e ao mesmo tempo incredulos com o que távamos a ver !!! Mariano e Mariana, a égua, tavam numa de sexo tântrico, aquilo nã era pra acabar tão cedo...mas tinhamos que ter actitude, nã podiamos ficar á mercê dos devaneios carnais de Malvarisco e dos devaneios sexuais de Mariano...é quando Palhavã, todo corajoso e determinado, afinca um grandessíssimo pontapé nos enormes e cheíssimos tubaros de Mariano, fazendo-o desencharruar-se da vaginácea da sua propria égua e amontando-se ele e Miguel, arrancáram pra Portel com ela inseminada até ao figado...eu, amontei-me em Mariano, ainda extremamente erectil,e arranco pra Santo Aleixo a todo o vapor sem ter noção que tava prestando um serviço gratuito ao estado, pois o Mariano foi charruando a terra com a sua vigorosa ferramente até casa, possibilitando assim a instalação gratuita das condutas d´irrigação da barragem d´Alqueva...uma vez chegado ás muralhas e por conseguinte ao portão d´acesso á minha mais q´heroica aldeia, tava lá meu primo Bento Durão pra me deixar entrar e perguntou-me:" atão, primo mestre Velho Murtigão, como é que correu a caçaria lá pra Alqueva?"... e eu, tenebrosamente e muito calmamente, disse-lhe aqui assim: " olha, Bento, eu ainda me safei porque tinha o transporte burrical perto de mim, se fosses tu, nem o fio dental te sobrava, eh eh eh...

SE ALGUEM NÃ GOSTAR DA HISTORIA, QUEIXE-SE AO RATZINGER, O SANTO PAPA.

"BORN TO BE A WILD AND ERECTIL BURRICAL OWNER"

 
                                >> Responder