| | 322 Utilizadores on-line |    

Login [Entrar]

 
   
 
 
Relatos de Montaria

Início

Anterior

Próximo

Fim


Montaria de Figueiros
 

     

Autor: Filipe Pedroso de Lima Domingos

04-02-2008 22:45:19

 

Exaustos os Canitos
   
Saída das Armadas
   
Vista do Alto da Serra do Montejunto
   
O Baptismo
   
Segundo o Wikipédia, o Carnaval tem raízes históricas que remontam aos bacanais e a festejos similares em Roma; alguns historiadores mais ousados chegam mesmo a relacionar o Carnaval a celebrações em homenagem à deusa Ísis. É seguramente uma época em que a brincadeira e a máscara são reis, por contraponto, em Figueiros organizou-se uma montaria com muita seriedade.

Montaria – Figueiros - Cadaval
Mancha – ZCM 2606 - Serra de Montejunto
Data – 03-02-2008
Organização – Federcaça e Associação dos Caçadores do Concelho do Cadaval
Director da Montaria – Manuel Varanda
Portas – +- 100
Matilhas - 11
Tiros – +- 45
Tempo – Chuva/vento/nublado
Resultado – 8 Javalis


Organizada pela Federcaça e pela Associação dos Caçadores do Concelho do Cadaval em época de Carnaval, cerca de 100 monteiros esqueceram-se da folia e concentraram-se nas excelentes instalações da Associação dos Figueiros.

Após a inscrição e a retirada do número da porta e armada, degustámos um pequeno-almoço farto e de qualidade a que não faltaram as habituais filhoses.

O Vice Presidente da Federcaça e Presidente da Associação dos Caçadores do Concelho do Cadaval Senhor João Pereira, deu as boas vindas a todos, tendo transmitido que a mancha a montear seria na Serra do Montejunto e que as portas não estavam marcadas pois tinha sido a estratégia para não denunciar o local. É o eterno jogo do gato e do rato, pois infelizmente pessoas há, que por interesses obscuros pretendem destruir o trabalho daqueles que querem fazer alguma coisa. Nomeou o Director da Montaria, que deu as indicações que se impõem, tendo-se rezado por alma dos monteiros já falecidos.

A serra do Montejunto dista de Figueiros cerca de 18 km que foram feitos nos nossos carros e foi à entrada da mancha que passámos para as viaturas da organização. Armadas a sair pela ordem previamente definida, com o comando do Senhor Luis Santos, que foram colocadas com ordem e celeridade.

Cerca das 11:45 soou o foguete dando indicação que as matilhas haviam sido largadas. Desde logo até ao final da montaria cerca das 15:00 horas as ladras foram contínuas o que em conjunto com os tiros que ia ouvindo eram um bom sinal. A mancha em terreno de serra com zonas de forte mato e alguns pendentes pronunciados é um local bem difícil para os matilheiros e seus cães, que fizeram no entanto um bom trabalho. Um Monteiro contou-me que na sua porta passou um matilheiro a dizer que mal largou os cães estes desapareceram, tal era o forte odor e rastos frescos dos porcos. Muitos devem ter tido dificuldade na recolha dos canitos.

Quando regressámos vínhamos enregelados, pois no alto da serra suportámos as agruras do tempo com chuva forte e vento frio e, esperava-nos um bom almoço que nos aqueceu por dentro e onde o bom ambiente proporcionou um convívio agradável entre todos, conhecidos ou não, tendo estado presente o Senhor Presidente da Câmara do Cadaval. No final foi sorteado um par de botas.

Um caçador cobrou pela primeira vez um javali, o que quer dizer que aconteceu mais um baptismo, com a envolvência e animação que caracteriza estes momentos e em cerimónia com todos os “matadores”.

Excelente organização o que é já habitual faço no entanto um pequeno reparo; o quadro de caça dos 8 javalis merecia uma exposição mais cuidada.
 

 
Imprimir   Imprimir
     
     
     
     
 
 
 
Votos (25)    
 
     
   
     
  Voltar

 
 

| Ficha Técnica | Aviso Legal | Política de Privacidade |

 

(TES:0s) © 2004 - 2020 online desde 15-5-2004