| | 1175 Utilizadores on-line |    

Login [Entrar]

 
   
 
 
Relatos de Montaria

Início

Anterior

Próximo

Fim


Convívio de Monteiros com excelente resultado
Montaria da Falagueira
 

     

Autor: Alexandre Valente

06-01-2009 10:00:00

 

A concentração na Falagueira na manhã do solstício de Dezembro
   
Jose Miguens, António Inácio e Nelson Neves, ao centro, durante a prelecção aos monteiros
   
A curiosidade à chegada das reses e composição do quadro de caça
   
Um quadro de caça que merece alguns reparos
   
Esta montaria já tinha feito correr muitos … bytes. E ainda vão correr mais graças ao excelente resultado, tanto em quantidade como em qualidade, do quadro de caça.

Data: 21 de Dezembro
Local: ZCM da Falagueira
Organização: Associação Cultural e Recreativa da Falagueira e Alvorada-PT
Director de Montaria: António Inácio
Preço: 80 €
Mancha: Cerca de 740 ha
Matilhas: 14
Portas: 80
Tempo: Agradável, com sol e algum frio
Tiros: Contei cerca de 60
Resultado: 6 veados (um com 15, dois com 12, um com 10 e dois com 8 pontas) 13 javalis (dois navalheiros, um bom, e 4 muito pequenos)


Quim viê á nosa terra ( Quem vier à nossa terra

Qe nõ ce põnhá dromí. Que não se ponha a dormir.

Abrôs olhes bem abertes Abra os olhos bem abertos
Cá munte pra descobri. Que há muito para descobrir.)



Era o que se podia dizer da Falagueira, socorrendo-nos das palavras do poema de José d’Oliveira Deniz (À solêra da porta) (no “falar de Nisa”), se quiséssemos falar da caça maior.

À chegada confirmava-se a inscrição e sorteavam-se as portas. Eram nove armadas, dispostas pelo capitão da montaria entre o rio Tejo, a ribeira de Nisa e a Tapada do Chão da Velha. Havia uma foto aérea e um mapa da mancha, mas faltava a informação sobre os locais de entrada e a progressão das matilhas.

Antes da partida ouviram-se as intervenções de José Miguens (Associação Cultural e Recreativa da Falagueira) e Nelson Neves (Fórum Alvorada-PT). O director da montaria foi designado de surpresa, mas António Inácio esteve bem no seu papel ao alertar para os capitais aspectos sobre a segurança. Antes da partida fez ainda rezar um Pai-nosso pelos caçadores ausentes, como manda a boa tradição monteira.

O período de maior actividade das reses na mancha, e que proporcionou muitos tiros, foi a segunda hora da montaria. A recolha dos monteiros decorreu, tal como a distribuição, sem problemas e sem demoras apesar do número de reses cobradas.

Um quadro de caça excelente que regalou todos os presentes, quer pela qualidade de alguns troféus de veado.

Uma sopa de pedra e uma jardineira retemperadores aguardavam os monteiros, que não se fizeram rogados. Houve ainda tempo, ao que me constou, para algumas justas homenagens.
 

 
Imprimir   Imprimir
     
     
     
     
 
 
 
Votos (7)    
 
     
 
Informação Relacionada
 
     
  Voltar

 
 

| Ficha Técnica | Aviso Legal | Política de Privacidade |

 

(TES:1s) © 2004 - 2020 online desde 15-5-2004