| | 572 Utilizadores on-line |    

Login [Entrar]

 
   
 
 
Notícia

Início

Anterior

Próximo

Fim


Apela à intervenção do Presidente da Câmara local
Dirigente Associativo, preocupado com a organização da caça em Arcos de Valdevez
 

     

12-01-2009 9:00:00

 

Salvador Pinto Mor, dirigente da Associação Cultural e Recreativa de S. Jorge, em carta dirigida ao Presidente da Câmara Municipal dos Arcos de Valdevez, manifesta a sua preocupação relativamente à organização da caça no concelho e apela à intervenção deste no sentindo de patrocinar uma reunião entre todas as Entidades de Caça do Concelho, no sentido de procurar criar uma Única Zona de Caça Concelhia, profissionalizando o sector.

Na origem desta iniciativa está o facto de ter sido solicitado à Associação Cultural e Recreativa de S. Jorge, cocessionária da Zona de Caça Associativa do Gião, a adesão de caçadores das Freguesias de Paçô, Ázere e Grade.

No entender deste dirigente a "caça pode ser um sector que, devidamente aproveitado e gerido, pode trazer para o concelho uma mais-valia significativa, desde que enquadrada com outros sectores como a restauração e o turismo. Temos em Arcos de Valdevez, condições excelentes para que isto aconteça."


Carta dirigida ao Presidente da Câmara de Arcos de Valdevez

 

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA DE S. JORGE

ZONA DE CAÇA ASSOCIATIVA DO GIÃO

ARCOS DE VALDEVEZ

 

Dirigente Associativo, preocupado com a organização da caça no concelho de Arcos de Valdevez, pede intervenção do Presidente da Câmara local.

 

Vieram os caçadores das Freguesias de Paçô, Ázere e Grade solicitar a adesão à nossa Entidade, entendendo que seria esta a que melhor poderá prosseguir os seus interesses.

 

Com efeito, sempre tivemos uma atitude de tratamento justo, disciplinado, de lealdade e de respeito por todos, pelo que não nos causou espanto a pretensão daqueles caçadores, ao quererem associar-se a uma Entidade o­nde haja disciplina e igualdade de tratamento, que sempre laborou em prol da conservação cinegética no extenso território concelhio.

 

Neste conspecto, não será despiciendo suscitar perante o Presidente da Câmara Municipal a questão da fusão das associações de caça deste Concelho numa só Entidade Municipal, razão pela qual lhe endereçamos a presente.

 

A caça pode ser um sector que, devidamente aproveitado e gerido, pode trazer para o concelho uma mais-valia significativa, desde que enquadrada com outros sectores como a restauração e o turismo. Temos em Arcos de Valdevez, condições excelentes para que isto aconteça.

 

Então o que falta?

 

Como noutros sectores, consciência crítica e capacidade de organização, em suma, pessoas que entendem que o caminho a seguir na actualidade não pode ser mais senão o profissionalismo.

 

Com a responsabilidade que nos assiste, e que muito bem compreendemos, ajudamos, sem qualquer recompensa para a nossa parte, os proprietários e caçadores das freguesias de Cabreiro, Sá, Vilela, Gondoriz, Vale, S. Jorge, Paçô, Grade e Ázere a organizarem-se.

 

Sucede, porém, que este esquema de organização da caça no nosso Concelho, demasiadamente estratificado, não traz qualquer benefício colectivo. Não é, pois, propício à mobilidade e tem o grave inconveniente de cada micro organização funcionar como sistema fechado.

 

Sempre tivemos e procuramos responder aos caçadores locais, à gente da nossa terra, respeitando-os e resolvendo os assuntos que vão surgindo, no sentido de os beneficiar. Nesta área referida isto está garantido e, pela nossa parte, entendemos que é a questão de maior relevância.

 

Fomos também fundadores do clube de Caça e Pesca Local e afastamo-nos por, a dada altura, a sua gestão entender não valorizar estes pormenores – para nós, os proprietários e os locais estão sempre à frente, sem que com esta posição tenhamos que abdicar de bem receber quem nos quer visitar.

 

Julgamos que é esta a hora, para que amanhã não seja tarde de mais, de, Caro Senhor Presidente, lhe rogar que se digne patrocinar uma reunião entre todas as Entidades de Caça do Concelho, no sentido de procurar criar uma Única Zona de Caça Concelhia, profissionalizando o sector.

 

Podíamos, só aqui, ganhar de imediato alguns postos de trabalho. Por este primacial objectivo, estamos dispostos a abdicar de toda a nossa estrutura e de toda a nossa organização e bens materiais.

 

Se entender que deve patrocinar esta reunião, pedimos-lhe que o faça o mais breve possível, porque, nesse caso, já não integrávamos as freguesias que nos solicitaram a adesão.

 

Conte, por favor, com a nossa desinteressada disponibilidade. Sairemos de cena, se isso for útil ao desenvolvimento do nosso concelho, uma vez que temos o respeito e o mérito reconhecido de muita gente. Acredite que, diariamente, somos abordados por caçadores locais que manifestam o seu descontentamento com o esquema actual de organização da caça no nosso Concelho.

 

Urge suscitar esta questão em sede de concertação social. O concelho merece-o, e os munícipes também.

 

 

Arcos de Valdevez, 2 de Janeiro de 2009-01-03

 

 

Com os melhores cumprimentos,

 

Salvador Pinto Mor


 

 
Imprimir   Imprimir
     
     
     
     
 
 
 
Votos (24)    
 
     
   
     
  Voltar

 
 

| Ficha Técnica | Aviso Legal | Política de Privacidade |

 

(TES:0s) © 2004 - 2017 online desde 15-5-2004, powered by zagari