| | 1255 Utilizadores on-line |    

Login [Entrar]

 
   
 
 
Relatos de Montaria

Início

Anterior

Próximo

Fim


Montaria da Ventosa - Bombarral
 

     

Autor: Filipe Pedroso de Lima Domingos

Autor Fotos: Filipe Domingos

16-01-2009 0:41:25

 

Pequeno Almoço
   
Director da Montaria e Presidente da Associação
   
Chegada à Entrada da Mancha
   
Matilheiro e a sua Matilha
   
Navalheiro
   
Uma porta sem expectativas, mas cheia de fait-divers!!!

Montaria – Ventosa - Cadaval
Mancha – Serra do Montejunto – ZCM 2606
Data – 11 de Janeiro de 2009
Organização – Associação de Caçadores do Concelho do Cadaval
Área (ha) – 300
Director da Montaria – João Pedroso
Portas – 109
Matilhas - 11
Tiros – +- 10
Tempo – Sol
Resultado – 2 Javalis (1 navalheiro)


A concentração estava marcada para a aldeia de Figueiros e seria para aí que eu me deslocaria, porém no sábado já depois da meia noite abri o mail e tinha um da Associação dos Caçadores, em que me informava que afinal a concentração seria na Ventosa-Cadaval. Foi uma sorte ainda ter consultado o correio electrónico, tendo ainda ido a tempo de avisar um companheiro que vinha de Lisboa.

Seria então no Atlético Clube da Ventosa o local da concentração, local que ainda tive alguma dificuldade em encontrar, tendo já chegado depois das 9 horas.

Chegados fazíamos a confirmação da inscrição e retirávamos o envelope com o nº da porta, tendo-me calhado em sorte o nº 1, desde logo fiquei sem qualquer tipo de expectativa sobre a mesma. Este ano foi dado um boné fluorescente para que todos ficassem bem visíveis. Pequeno-almoço servido a contento de todos. Durante este, falei com o matilheiro de Alcobaça João Agostinho, que me disse que no domingo anterior tinha vindo à mancha com os organizadores e tinha visto muitos indícios dos javalis.

O senhor João Pereira, Presidente da Associação de caçadores, deu as boas vindas e esclareceu que mais uma vez tentaram que a mancha não fosse boicotada, tendo feito as marcações das portas num local, mas a mancha a montear seria em local diferente. Fez bem em dizer que apenas 3 portas não foram a sorteio, por razões estratégicas. São sempre bem vindas estas explicações a bem da verdade e da lisura de processos. Convidou para Director da montaria o João Pedroso, que deu as indicações habituais, mas que nunca são demais, tendo-se rezado um Pai-nosso.

Até à entrada da mancha, na Serra do Montejunto, fomos nos nossos transportes. Saída das armadas em boa ordem. A minha porta era junto à estrada alcatroada, no início da serventia por o­nde foram distribuídas as portas. Cinco minutos depois vêm da serventia cinco ciclistas de BTT, tendo estado ainda um bocado a falar com eles. Uma hora depois aparece-me um carro que pára ao pé de mim, na estrada que era suposto estar fechada. Pergunta-me se estavam mais caçadores para cima, pois vinha de Lisboa com uma excursão e não tinha sido avisado. Começa a falar ao telemóvel para o camionista que não tinha passado no local da barreira a dizer para ele avançar e se era preciso ir lá buscá-lo. Assim fez, vai para baixo a buzinar e daí a um pouco passa esse carro mais a camioneta. Mais tarde vim a saber que forçaram a passagem. A meio da montaria chega um matilheiro com a sua matilha a perguntar-me o­nde é que estavam as carrinhas pois ia-se embora. Eu não sabia, mas como tenho o telefone do senhor Luis Santos, dei-lho e ele liga a perguntar-lhe o­nde estavam as carrinhas, pois já tinha caído e não tinha cães para este terreno e como não queria enganar ninguém ia-se embora. Estão a ver, para mim foi uma montaria e peras!!!

Entretanto o sol começou a esconder-se para lá do monte e o frio começou a atacar em força, pelo que foi uma sorte ter estoirado o foguete de final da montaria. Regressámos ao local de partida, com alguma frustração, sabendo pelo tiros ouvidos que os resultados seriam fracos. Assim foi, apenas se cobraram dois javalis, sendo que um era um bom navalheiro.

O almoço o que teve de melhor foi a sopa quentinha para nos aquecer. O senhor João Pereira aproveitou para pedir desculpas pelo fraco resultado, o que lhe ficou bem.

O tempo tem estado muito instável e os porcos mexeram, deslocaram-se da mancha seguramente, esta é a minha opinião.

Saí ainda a meio do almoço por razões pessoais e não assisti ao leilão dos javalis, nem ao sorteio das botas Amster.
 

 
Imprimir   Imprimir
     
     
     
     
 
 
 
Votos (5)    
 
     
   
     
  Voltar

 
 

| Ficha Técnica | Aviso Legal | Política de Privacidade |

 

(TES:1s) © 2004 - 2020 online desde 15-5-2004