| | 422 Utilizadores on-line |    

Login [Entrar]

 
   
 
 
Relatos de Montaria

Início

Anterior

Próximo

Fim


Montaria ao Javali em Tangil - Monção
 

     

Autor: JOSÉ AFONSO

Co-Autor: José Afonso

Autor Fotos: José Afonso

10-02-2011 12:00:00

 

Bonito quadro de caça com 14 javalis
   
Cerimónia de baptismo dos jovens caçadores Daniel Costa e Álvaro Domingues
   
Relevante evento da caça maior, realizado num dia magnífico e enquadrado numa paisagem deslumbrante. O êxito desta Montaria veio demonstrar que a CAÇA e CONSERVAÇÃO DA NATUREZA são compatíveis, complementam-se e não subsistem uma sem a outra. Para os Monteiros de Portugal e para todos os amantes da Caça Grossa, aqui deixamos o nosso testemunho desta Montaria inesquecível.


Organização: Associação de Caça e Pesca Tangilense
Local: Zona de Caça Associativa de Tangil
Data: 9 de Janeiro de 2011
Director da Montaria: José Afonso
Nº de Postos: 52
Nº de Matilhas: 4
Nº de Tiros: 200…
Nº de Javalis Cobrados: 14


Realizou-se, no passado dia 09 de Janeiro de 2011 nas terras altas de Tangil, em terrenos da Associação de Caça e Pesca de Tangil, uma Montaria ao Javali, que foi um estrondoso êxito.

Organizada, por José Afonso e Miguel Cerqueira, contou com a presença de quatro matilhas: Ibérica matilha (de Miguel Cerqueira), matilha de Merufe (de Bruno Gonçalves), matilha do Vez (de Eugénio) e matilha Montenegro (de Albino), que fizeram um trabalho excepcional ao levantarem, mais de trinta javalis nas Corgas das Serras de Tangil.

Os cinquenta e dois Monteiros presentes vieram de todo o Alto Minho presenciar a melhor Montaria que há memória realizada em Monção.

A concentração realizou-se no Café da Cristina em Tangil; depois de forrar o estômago, iniciou-se a palestra aos monteiros presentes, de modo a alertar para o cumprimento das regras de segurança da montaria. O início tardio da montaria, deveu-se em parte, à morosa colocação das armadas nos seus postos, em virtude da inclinação elevada do terreno e difícil acesso á mancha, já que o percurso teve que ser feito a pé.

Os monteiros, por fim, ocuparam as portas sorteadas e não adivinhavam que ia ser um dia memorável...

Logo no início da montariaos javalis concentrados no fundo das ravinas deram a cara, digo focinho; a primeira vara levantada pelas matilhas, rapidamente se encaminhou para as portas. Os tiros não paravame foi um autêntico arraial durante toda a Montaria; muitos monteiros ficaram sem balas, tal era a abundância de animais que tentavam furar o cerco preparado pela organização.

No final, 14 javalis foram abatidos nas profundezas das Corgas, muitos mais falhados. Posteriormente, aqueles foram a muito custo e esforço, transportados para o café da Cristina.

Foram muitos os curiosos, que sabendo do resultado da Montaria, se abeiravam do quadro de caça para deleite de todos; as fotografias da praxe e o almoço/jantar, regado com muitas histórias e “Bocas” aos que tendo gasto todas as balas não haviam cobrado nenhuma peça, apimentaram o ambiente cordial dos monteiros.

Seguiu-se cerimónia de baptismo dos jovens caçadores Daniel Costa e Álvaro Domingues, dois dos felizes caçadores presentes na montaria, a abater o seu primeiro javali. Como manda a tradição, para fazer parte do grupo dos monteiros, tem que ser baptizado conforme as regras destes. Não se fizeram rogados e aceitaram, como bons monteiros que já são, ser baptizados como ordena a tradição.

Finalmente fez-se leilão dos animais, para fazer face às despesas.

Satisfação, era a expressão mais comum no rosto da maioria dos presentes: monteiros, matilheiros e organização, proporcionaram uma jornada inesquecível á Caça Grossa.

Todos tinham contribuído para um dia de alegria e sã convivência entre caçadores de todo o Alto Minho……uma tarde de Domingo para não mais esquecer.

Bem hajam.

A Organização
José Afonso
 

 
Imprimir   Imprimir
     
     
     
     
 
 
 
Votos (24)    
 
     
   
     
  Voltar

 
 

| Ficha Técnica | Aviso Legal | Política de Privacidade |

 

(TES:0s) © 2004 - 2017 online desde 15-5-2004, powered by zagari