| | 119 Utilizadores on-line |    

Login [Entrar]

 
   
 
 
Relatos de Montaria

Início

Anterior

Próximo

Fim


Montaria de Perais I (V. V. Rodão), 3-12-2005
 

     

Autor: PEDRO HENRIQUE JORGE

26-12-2005

 

   
Montaria realizada em zona de caça municipal, organizada pela secção de caça do Grupo Socio-cultural dos Povos da Freguesia de Perais.

N.º postos: 90 (fora os "outros")
N.º matilhas: 4
Área: 163 Há
Cupo: 1 veado / 1 javali
N.º tiros: de 60 a 80
Resultado: 3 javalis e 8 amostras
Preços: até 60?

À chegada à sede deste Grupo, apresentamos os documentos, pagamos, e de imediato retiramos o envelope com o n.º da porta. Após estas formalidades, seguiu-se o pequeno almoço, constituído principalmente por enchidos (dos bons...) e para quem as agarrou, algumas febras e entremeadas. Para quem quis, a organização tinha aberto o bar, à porta do qual estafa afixado uma fotografia da mancha tirada com o "Google Earth" onde figuravam as portas, havendo algumas marcadas como para "carabina" e outras, a maioria, "caçadeira". Pena não terem feito cópias para distribuição junto com a senha do almoço...

Não houve chamada, e a prédica resumiu-se a alguns conselhos sobre tiros, e principalmente, para não se atirar a varetos e fêmeas. Alguns comentários sobre possíveis discussões sobre pertenças de animais abatidos e informação sobre transportes. Nada mais.

A deslocação até à mancha fez-se facilmente, mas alguns dos companheiros faziam um barulho infernal a caminho e nas portas, incluindo um que "gritava" sobre o facto de lhe ter saído o mesmo posto do ano anterior... Enfim.

Como me saiu uma travessa, pude passar por vários postos e assim verificar o porquê de tantos postos para caçadeira: pouca visibilidade, muito perto uns dos outros, campos de tiro reduzidos e duvidosos. Ao chegar ao meu, assustei-me, pois para onde me virasse, ou não via nada com o mato cerrado (estevas), ou nos reduzidos carreiros via sempre alguém na linha de tiro.

Passei a montaria a rezar para que nada ali passasse, mas uma fêmea de veado que subiu até mim a partir mato com os cães na peugada, além de quase me matar de ataque cardíaco, ainda me fez tirar a folga que o gatilho não tem, e que para segurança tive de manobrar a culatra da arma afim de o rearmar.

Penso que as matilhas realizaram um bom trabalho, tendo passado por mim diversos cães de diferentes matilhas, junto ou separados dos respectivos matilheiros. Tive ainda 2 agarres junto ao meu posto, mas o mato fechado e a brevidade dos mesmos fizeram com que ficasse no posto.

À junta chegaram 3 porcos médios e alguns listados, sendo que 2 foram agarrados pelos cães.

O almoço não foi o habitual, nem em género nem em qualidade, tendo principalmente sentido falta das "tijeladas", doce esse que me leva a esta aldeia ano após ano. Nem consegui comprar os tradicionais queijos caseiros, excelentes por sinal, mas parece que este ano não saíram tão bem.

No geral até foi uma montaria animada, com ladras e tiros que os resultados não reflectem. O pior foi a segurança, o que pode comprometer muita coisa. Por exemplo, na minha armada houve alguém que matou um cão, atirando ao "mato a mexer".

Para Fevereiro está marcada outra montaria neste clube, numa mancha que no ano passado deu muito bons resultados, exceptuando para mim, pois o postor "perdeu" a minha porta, tendo de ficar na de um companheiro, pois já se atirava na armada.
 

 
Imprimir   Imprimir
     
     
     
     
 
 
 
Votos (23)    
 
     
   
     
  Voltar

 
 

| Ficha Técnica | Aviso Legal | Política de Privacidade |

 

(TES:1s) © 2004 - 2020 online desde 15-5-2004